Vivendo o Evangelho

Segue o Resumão da Lição da Escola Sabatina
Vejam os itens mais importantes:

  1. Uma grande verdade: nós não merecemos a salvação pelos nossos méritos, pelas “boas obras” ou pelo esforço enorme que fazemos para não pecar… Nada que fazemos pode nos tornar merecedores ou contribuir para a nossa salvação!
  2. A Bíblia ensina que todos somos pecadores salvos pela graça de Deus mediante Jesus e Sua morte substitutiva na cruz.
  3. Não podemos nos enganar: nossas obras de misericórdia e compaixão para com os necessitados não devem ter um foco legalista, isto é, “dar comida, roupa, abrigo, atenção, dinheiro ou outra coisa para os pobres e necessitados não nos garante a  salvação.
  4. Salvação diz respeito a cada um de nós em nosso relacionamento pessoal com o Senhor e ainda mais… justificação não é apenas ter nossos pecados perdoados. Ela também deve estar relacionada à maneira pela qual, por meio de Jesus Cristo e do poder do Espírito Santo, o Senhor cria a família de Deus, que celebra o perdão e a certeza da salvação ao testemunhar ao mundo o Seu amor e Seu Evangelho.
  5. “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu Seu Filho […]”. Jo 3:16 – Nesse contexto, mundo = uma entidade organizada e criada. Esse verso trata da salvação da humanidade, mas o plano da salvação também tem implicações para toda a criação.
  6. Paulo em Rm 8:20-23 afirma que “toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”, claro, por causa do nosso pecado. A criação de forma geral, aguarda para ser redimida da corrupção. Temos a promessa de Deus – “Faço novas todas as coisas”.
  7. É bom afirmar: a- Deus ama outras pessoas além de nós; b- Ele ama aquelas a quem amamos; c- Ele ama as pessoas que buscamos alcançar com o Evangelho; d- Ele ama aquelas com quem nos sentimos desconfortáveis; e- Deus ama todas as pessoas,até mesmo aquelas de quem pessoalmente não gostamos.
  8. E daí? Devemos pensar, refletir e mudar a nossa atitude em relação às pessoas e suas circunstâncias. Todas as pessoas são seres criados e amados por Deus. Isso quer dizer que precisamos aceitar as pessoas como elas são e nosso desafio é respeitá-las e amá-las como fez Jesus.
  9. Repetimos: Deus ama todas as pessoas. “Ele faz nascer o Seu Sol sobre maus e bons e vir chuva sobre justos e injustos” Mt 5:45 A própria vida é um dom de Deus. Na criação, vemos a bondade do Deus Criador.
  10. Uma triste constatação: Nós e nosso mundo somos caídos, arruinados e pecadores. Nosso mundo não é o que foi criado para ser e, embora ainda manifestemos em nós a imagem do Deus que nos criou, somos parte da ruína do mundo. O pecado em nossa vida é da mesma natureza do mal que causa dor, opressão e exploração em todo o mundo.
  11. “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós”. 1Jo 1:18. O pecado é uma tragédia: porque rompeu o relacionamento entre Deus e Seu povo, e porque nosso pecado fere outras pessoas.
  12. Egoísmo, ganância, mesquinhez, preconceito, ignorância e negligência estão na raiz de todo mal, de toda injustiça, pobreza e opressão no mundo.
  13. Logo, é justo sentirmos a dor, o incômodo, a tristeza e a tragédia do mundo e das pessoas ao nosso redor. Podemos confirmar esse sentimento e lamento na Bíblia, no livro dos Salmos, o sofrimento de Jeremias, outros personagens e outros profetas, bem como, as lágrimas e a compaixão de Jesus.
  14. Uma coisa é muito séria: Não podemos nos acostumar com o mal!
  15. Diante de tanto sofrimento e reconhecimento de nossa triste situação, o que nos resta fazer? Primeiro passo: nos arrepender sinceramente e reconhecer ou confessar nossa pecaminosidade a Deus para garantir que o Seu amor ocupe seu devido lugar em nosso coração. Em seguida, tomar a decisão de mudar de atitude, mudar de rumo… “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. 1Jo1:9 16. Bom saber: “Porque pela GRAÇA sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. Ef 2:8 e 9 17. As boas obras são fruto da salvação. A Bíblia revela que fomos criados para adorar a Deus e servir aos outros.
  16. Pela graça de Deus, representada no sacrifício de Jesus, torna possível o perdão e a cura. Nossa vida se torna mais plenamente uma obra de Deus, e Ele nos usa para com Ele, curar, e reparar os danos e as feridas na vida dos outros.
  17. Não ganhamos a salvação e nem justificação quando realizamos boas obras ao cuidar dos pobres, elevar os oprimidos e alimentar os famintos. Em Cristo, pela fé, temos toda a aprovação de que necessitamos aos olhos de Deus. A graça abnegada e humilde de Deus nos oferece uma nova vida e um amor que nos transforma. Ao contemplar a cruz de Cristo, temos a certeza que não podemos acrescentar NADA. Em resposta ao que recebemos de Cristo, devemos amar e servir aos outros.
  18. Como Cristo deu a vida por nós, devemos dar nossa vida aos nossos irmãos.
  19. A Bíblia ensina que Jesus recebia a todos os que O buscavam com genuína ternura e cuidado. Todos estavam incluídos em Sua atenção e amor.
  20. Precisamos aprender mais sobre o caráter inclusivo de Deus e como isso deve ser vivido por nós que O seguimos cada dia mais. Precisamos reconhecer: 1- temos todos o mesmo Pai, que é Deus; 2- viemos todos de Adão; 3- todos nós pecamos e carecemos da glória de Deus; 4- em Cristo somos UM; 5- devemos tratar os outros como Cristo nos tratou.
  21. “Em Cristo, não há judeu, nem grego, servo nem livre”. Gl 3:28 “Todos são aproximados por Seu precioso sangue”. Ef 2:13 24. O convite e o apelo transformadores do evangelho “a cada nação, e tribo, e língua e povo” (Ap 14:6), tem continuado em toda a história cristã.
  22. Apocalipse 14:7 reúne 3 elementos essenciais sobre a preocupação de Deus com o mal, a pobreza e a opressão em toda a história da Bíblia: a- Juízo – descreve Deus como Aquele que ouve os clamores dos aflitos; b- Adoração – Deus declarou que a adoração que Ele mais desejava eram atos de bondade e cuidado para com os pobres e necessitados. Isaías 58:6 e 7; c- Criação – todos fomos criados à imagem de Deus e somos amados por Ele; temos valor aos Seus olhos e ninguém deve ser explorado nem ser oprimido pela ganância de outros ou por um ganho injusto.
  23. Podemos afirmar com certeza: A proclamação do Evangelho no fim dos tempos é um chamado para aceitarmos a restauração que Deus deseja para a humanidade caída. Como povo de Deus defenderemos o que é certo, defenderemos os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.

Senhor Jesus, acreditamos que o Evangelho transforma nossa vida,  nossos relacionamentos e nos motiva a servir, especialmente aos mais necessitados. Venha nos ajudar. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes!
Estudar a Bíblia faz bem!
Um abraço!

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.