Somente pelas Escrituras – Sola Scriptura

egue o Resumão da Lição da Escola Sabatina: Somente pelas Escrituras – Sola Scriptura que eu preparei com muito carinho.
Vejam os itens mais importantes:
1. A declaração protestante “Somente as Escrituras” – Sola Scriptura elevou a Bíblia como o único padrão e fonte decisiva para a teologia.
2. Em contraste com a teologia católica romana, que enfatizava as Escrituras e a tradição, a fé protestante enfatizava a palavra-chave somente; isto é, somente as Escrituras são a autoridade final quando assuntos de fé e doutrina estão em discussão.
3. Desde o início do seu movimento, nós, os Adventistas do Sétimo Dia nos consideramos o povo do Livro, isto é, cristãos que creem na Bíblia.
4. Outras fontes, como experiência religiosa, razão humana e tradição são subservientes (submissos) à Bíblia.
5. O princípio da Sola Scriptura tinha a intenção de proteger a autoridade das Escrituras da dependência da igreja e de sua interpretação.
6. Paulo orienta que não devemos “ultrapassar o que está escrito”, porque se ultrapassarmos o que está escrito, atribuiremos doutrinas de seres humanos à Palavra de Deus.
7. Atenção! Não ultrapassar o que está escrito pode incluir a arqueologia bíblica ou história, interpretação, léxicos (vocabulário, reunião dos vocábulos de uma língua), dicionários, concordâncias, outros livros e comentários.
8. Outro ponto que confirmamos quando praticarmos o princípio da Sola Scriptura é que, se surgir um conflito na interpretação da nossa fé, então somente as Escrituras têm a autoridade que transcende e julga qualquer outra fonte ou tradição da igreja. Logo, não devemos ultrapassar nem contrariar o que está escrito na Bíblia.
9. O verdadeiro cristianismo e a pregação do Evangelho dependem da autoridade das Escrituras.
10. Martin Luther afirmou “Somente as Escrituras são o verdadeiro senhor e mestre de todos os escritos e doutrinas da Terra”.
11. A própria Bíblia afirma que “Toda a Escritura é inspirada por Deus”. 2Tm 3:16  e que nenhuma profecia da Escritura provém de particular interpretação” e que os autores falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santos. 2Pe 1:20 e 21
12. Deus é o Autor fundamental da Bíblia e existe uma harmonia e unidade básicas entre as várias partes das Escrituras.
13. A harmonia e a unidade da Bíblia evitam confusão na doutrina e nos procedimentos da igreja.
14. Jesus e os escritos bíblicos, porém, reconheceram a unidade das Escrituras, que está fundamentada na origem divina delas.
15. Os autores da Bíblia consideravam as Escrituras um todo coerente, inseparável, no qual os principais temas são desenvolvidos.
16. Há uma harmonia entre o Antigo e Novo Testamento. Sendo assim, os dois Testamentos têm uma relação recíproca na qual ambos esclarecem um ao outro.
17. A unidade das Escrituras também implica que toda a Escritura deve ser levada em consideração quando estudamos um assunto bíblico.
18. No princípio Escrituras somente, o texto da Bíblia precisa ter clareza no seu significado.
19. Vários textos dos Evangelhos afirmam a importância da clareza nas mensagens bíblicas, visando facilitar o nosso entendimento. Encontramos orientações do próprio Jesus.
20. Jesus utilizou as Escrituras para explicar Sua missão, pois elas testificam Dele. Podemos usá-las para conhecê-Lo melhor. Jo 5:39
21. A Bíblia é suficientemente clara no que ensina. Pode ser entendida por crianças, jovens e adultos, especialmente seus ensinos básicos. Seus ensinamentos fundamentais podem ser compreendidos por todos os cristãos.
22. A própria Bíblia nos encoraja a estudá-la por nós mesmos, pois somos capazes de entender a mensagem de Deus para nós.
23. A clareza da Bíblia diz respeito à linguagem, sentido e palavras das Escrituras, pois há uma verdade definida pretendida pelos escritores bíblicos, em vez de múltiplos significados subjetivos e incontrolados do texto bíblico.
24. Não podemos nos enganar, é verdade que, às vezes, nos deparamos com textos difíceis da Bíblia, consequentemente, não compreendemos completamente. Afinal, é a Palavra de Deus, e somos apenas seres humanos caídos. Contudo, as Escrituras são suficientemente claras acerca das coisas que realmente precisamos conhecer e entender, especialmente em relação à questão da salvação e o amor de Deus.
25. Não é apenas uma mistura de palavras, mas afirmamos: As Escrituras interpretam as Escrituras. Isto quer dizer, a Bíblia funciona como sua própria intérprete.
26. Como pode acontecer: levamos em consideração o contexto de cada passagem, além do contexto imediato antes e após a passagem sob investigação. Devemos também considerar o contexto do livro no qual a passagem se encontra.
27. Paulo aconselha: “tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito”; Rm 15:4 Devemos estudar tudo o que as Escrituras declaram sobre determinado assunto.
28. Ellen G. White afirma: “A Bíblia se autoexplica. Textos devem ser comparados com textos. O estudante deve aprender a ver a Palavra como um todo, e também a relação entre suas partes”.
29. Ao compararmos as Escrituras com elas mesmas, é importante estudá-las completamente. Se possível, devemos fazê-lo em suas línguas originais, ou pelo menos com uma tradução bíblica apropriada, fiel ao significado contido nos originais hebraico e grego.
30. Se não for possível o acesso às línguas originais, estudar a Palavra fielmente e em espírito de oração, com atitude de humildade e submissão, certamente renderá  bons resultados.
31. Nós adventistas, acreditamos que Ellen G. White também foi inspirada por Deus e serviu como mensageira do Senhor para Seu povo remanescente.
32. Para a mensageira, a Bíblia era fundamental e central em todo o seu pensamento e teologia. Ela confirmou muitas vezes que a Bíblia é autoridade superior, norma e padrão supremos para toda doutrina, fé e prática.
33. Ellen G. White claramente apoiou e defendeu o grande princípio protestante da Sola Scriptura.
34. Na visão de E.G.White, seus escritos, quando comparados com as Escrituras, são uma “luz menor para levar homens e mulheres à luz maior”, a Bíblia. Seus escritos nunca são um atalho nem substituto para um estudo sério da Bíblia.
35. Concluímos que os escritos desta mensageira devem ser estimados. Eles partilham o mesmo tipo de inspiração dos escritos bíblicos, mas têm uma função diferente da Bíblia.
36. Os escritos de E.G.White não são um acréscimo às Escrituras, mas estão sujeitos à Palavra de Deus. Ela nunca pretendeu que seus escritos tomassem o lugar da Bíblia; em vez disso, elevou a Palavra de Deus como o único padrão de fé e prática.

Senhor,  agradecemos a Ti porque temos acesso à Tua Palavra e os escritos de E.G.White. Agradecemos porque a Tua Palavra é viva, eficaz, apta para nos ajudar a conhecer o Teu amor e o plano da salvação, entre outras verdades. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.