RESUMO da Lição – Apelo pastoral de Paulo

Vejam os itens mais importantes:

1. Paulo gostava muito dos gálatas, principalmente por sentir uma paixão inspirada em relação ao bem-estar espiritual da igreja que havia fundado.

2. Paulo procurava falar aos gálatas daquilo que acreditava e sua mensagem refletia uma exatidão doutrinária a respeito do evangelho.

3. Paulo havia feito vários discursos usando argumentos para persuadir os gálatas de seus erros e então, resolveu fazer um APELO pessoal e pastoral, porque os amava como um bom pastor por seu rebaho, mesmo em se tratando de um rebanho rebelde.

4. Esse apelo ocorreu logo imediatamente após a insistência de Paulo para que os gálatas se tornassem como ele era. Ele suplicou, rogou, ou melhor, ele implorou! “Eu imploro a vocês!”

5. A preocupação de Paulo não era simplesmente com idéias teológicas e pontos de vistas doutrinários.

6. Coração de Paulo? O seu coração estava ligado à vida das pessoas conduzidas a Cristo por meio de seu ministério. Ele se considerava mais do que apenas um amigo; era seu pai espiritual, e os conversos eram seus filhos.

7. – Qual era o problema? Havia uma tendência ou fraqueza dos gálatas, pois apesar de conhecerem o evangelho e a liberdade em Cristo Jesus através do apóstolo Paulo, insistiam em voltar para aqueles poderes espirituais fracos e sem valor.

8. Quando Paulo percebeu que os gálatas haviam se desviado da verdade, disse palavras fortes:   “Meus queridos filhos, eu estou sofrendo por vocês, como uma mulher que tem dores de parto. E continuarei sofrendo até que Cristo esteja vivendo em vocês. Como eu gostaria de estar perto de vocês agora, para poder falar de modo diferente. Estou muito preocupado com vocês”. Gál 4:19

9. Paulo desejava que os gálatas após ouvirem o evangelho de Jesus se tornassem cristãos maduros e espiritualmente saudáveis.

10. Paulo descreveu que seguir a Cristo é mais do que simplesmente uma profissão de fé; envolve uma transformação radical à semelhança de Cristo. Paulo não estava esperando algumas pequenas alterações nos gálatas, mas uma transformação tal que, ao olhar para eles, seria como ver Jesus.

11. Ao longo das cartas de Paulo, encorajou os cristãos a imitar seu comportamento. Ele se apresentou como exemplo confiável que eles deviam seguir. Paulo ofereceu como exemplo de cristãos que trabalham para ganhar o próprio sustento e não ser um fardo para os outros (tessalônicos). Paulo exortou a imitá-los, colocando o bem-estar dos outros em primeiro lugar (coríntios).

12. Em relação aos gálatas,  não pediu que eles o imitassem. Pediu que eles se tornassem como ele era; estava falando sobre SER e não AGIR. O problema deles era a essência do próprio cristianismo. Estava ensinando: “proceda como eu, mas seja o que eu sou”.

13. Paulo enfatizou que como cristãos precisamos nos apoiar unicamente em Cristo, uma fé que confia no que Jesus havia feito por eles e não em suas obras da lei. Os gálatas estavam dando mais valor ao seu comportamento do que à sua identidade em Cristo.

14. Paulo queria que os gálatas entendessem que eles não deveriam praticar a treligião centrada na lei, mas…

15. Paulo queria que os gálatas tivessem em mente o maravilhoso amor, alegria, liberdade e certeza da salvação que ele havia encontrado em Cristo. Assim, considerava tudo o mais como lixo e ansiava que os gálatas tivessem essa mesma experiência.

16. Paulo se tornou como um gentio para ganhá-los para Cristo.

17. Paulo não tinha interesse em “se exaltar”, mas queria que os gálatas se tornassem como ele na sua completa fé e confiança de Cristo para a salvação.

18. Paulo era judeu, estava se tornando um gentio para alcançar os gentios da Galácia com o evangelho. Também, declarou que havia aprendido a pregar o evangelho tanto a judeus quanto aos gentios.

19. Paulo foi o pioneiro a usar a contextualização, ou a necessidade de comunicar o evangelho de tal maneira que ele fale ao contexto total das pessoas a quem é dirigido.

20. Concordamos que a contextualização não é fácil, mas à medida qie somos capazes de separar a essência do evangelho de seu casulo cultural, sem comprometer seu conteúdo, estaremos sendo imitadores de Paulo.

21. Nas viagens missionárias de Paulo, aparentamente, ele não tinha intenção inicial e original de pregar para os gálatas. Ele ficou doente (malária? Problemas nos olhos?) e permaneceu um tempo “razoável” entre os gálatas.

22. Paulo doente ? sinal de desagrado divino como alguns pensavam? Não! Não! Os gálatas o acolheram com sincera alegria. O coração deles havia sido aquecido pela pregação da Cruz e pela convicção do Espírito Santo.

23. Paulo não ficou desapontado pela doença. Demonstrou sua confiança na graça de Deus.

24. Em um certo momento, Paulo fez uma pergunta aos gálatas: “será que agora, por ter dito a verdade, eu me tornei inimigo de vocês?” Gál 4:16

25. Quem nunca experimentou pessoalmente a necessidade de falar a verdade, muitas vezes desagradável, para uma pessoa que não está disposta a ouvir? Claro, fazemos isso porque gostamos da pessoa e queremos o seu bem e nos preocupamos com ela.

26. Paulo percebeu que por mais que amasse os gálatas, tinha alguns oponentes que procuravam cortejar seus conterrâneos com motivos egoístas. Chegou a dizer: “Esses homens mostram grande interesse por vocês, mas a intenção deles não é boa. O que eles querem é separar vocês de mim”. Gál 4:17

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.

Link para a lição completa: http://mais.cpb.com.br/licao-adultos/