Quando Falta Fé

Após passar um intenso período de oração numa anônima montanha com Pedro, Tiago e João, Jesus permitiu que sua divina glória irrompesse, encontrando-se com a glória de Deus Pai, que visitava aquele santo lugar.
Então “apareceu-lhes Elias com Moisés, e estavam falando com Jesus.” (São Mateus 9:4) Mais uma vez Deus afirmou a autoridade de Cristo e autenticou sua divindade.
Ao descerem do monte, encontraram o inimigo escarnecendo dos nove discípulos que ficaram no vale com uma numerosa multidão. Dentre a turba, surge um aflito pai com seu único filho possesso de um espírito maligno que o maltratava desde tenra infância.
Ao apresentar seu caso aos apóstolos, verificou-se a impotência humana destituída do poder de Deus em meio a um ambiente que faltava oração, humilhação, jejum e fé.
Com a chegada de Cristo, o diabo impôs resistência, apenas, para realçar a supremacia do Messias.
O pai do menino suplica a cura definitiva do filho numa duvidosa prece: “Se tu podes, ajuda-me!” (São Marcos 9:23) Ao que respondeu Jesus: “Se tu podes crer, tudo será possível.”
Vendo o pai aflito que lhe faltou fé, implora: “Ajuda-me na minha falta de fé!” (verso 24). O milagre da cura libertadora foi realizado por Jesus, pois o angustiado pai implorou à divina misericórdia de Jesus e foi socorrido em sua grande necessidade.
Quando há falta de fé, clame pela misericórdia de Cristo. “Que essas almas, em sua impotente indignidade, se lancem sobre a misericórdia de seu compassivo Salvador.” CBV, 66
A fé toma posse das bênçãos necessárias, mas se ela faltar, não desanime e insista, clamando pela ação de um Deus compassivo e cheio de amor. Ele não falhará quando você, honestamente, pedir: “Ajuda-me na minha falta de fé.” Persevere na oração.

Pr. Gilson Grüdtner