Os primeiros líderes da Igreja

Vejam os itens mais importantes:

1. Muitos conversos no Pentecostes eram judeus helenistas, isto é, judeus do mundo greco-romano que viviam em Jerusalém – Atos 2:5-11. Deus usou esses cristãos helenistas para cumprir a ordem de testemunhar ao mundo inteiro.

2. Haviam também os judeus da Judeia – os hebreus, mencionados em Atos 6:1

3. Eram notadas muitas diferenças entre eles, tanto culturais quanto religiosas, além da língua.

4. Naqueles dias, cresceu o número de cristãos e o número de discípulos. Como era costume de dividir os bens materiais, os judeus helenistas fizeram uma queixa ou reclamação: as viúvas da sua comunidade não estavam recebendo a distribuição diária.

5. Ellen G. White afirma que medidas imediatas deveriam ser tomadas para remover todo motivo de descontentamento e evitar divisão entre os crentes.

6. Os apóstolos se reuniram para buscar solução e a  proposta foi que os helenistas escolhessem SETE homens para SERVIR às mesas. Os apóstolos deveriam dedicar seu tempo à oração e ao ministério da Palavra no templo.

7. Esses homens deveriam ter boa reputação, estar cheios do Espírito Santo e de sabedoria.

8. Os SETE homens foram chamados de diáconos (diakoneo). Eram eles:

1- Estevão 2- Filipe  3- Prócono

4-Nicanor  5- Timão  6- Pármenas

7- Nicolau. Foram apresentados aos apóstolos; estes, tendo orado, lhes impuseram as mãos.

9. Sendo assim, os SETE diáconos se encarregavam das atividades de comunhão nas diversas “igrejas” localizadas nas casas. Os primeiros diáconos foram os primeiros líderes congregacionais da igreja.

10. Os sete diáconos se dedicaram não apenas ao ministério da igreja, mas também ao testemunho eficaz. O resultado foi que o evangelho continuou a se espalhar, e o número de cristãos continuou aumentar.

11. Infelizmente, esse crescimento trouxe oposição à igreja primitiva. A narrativa  de Atos se concentra em Estevão.

12. Quem era Estevão? um judeu helenista, escolhido para ser diácono. Como o autor Lucas caracteriza Estevão? Cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Atos 6:8

13. Estevão compartilhava o Evangelho nas sinagogas helenistas de Jerusalém. Como ele era muito inteligente, estudioso e eloquente, os outros líderes religiosos tinham inveja dele; Lucas disse que alguns que eram da sinagoga, não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito que falava; então, subornaram uns homens para que dissessem que Estevão blasfemava contra Moisés e Deus, isto é, contra a lei e o templo.  Atos 6:9-11

14. Na realidade, Estevão foi mal interpretado em alguns pontos ou suas palavras foram distorcidas e as falsas testemunhas tinham sido induzidas a falar contra ele; Estevão revelou entender as implicações mais profundas da morte de Jesus e suas consequências, pelo menos em relação ao templo e seus serviços cerimoniais. As acusações levantadas contra Estevão o levaram à prisão e ao julgamento pelo Sinédrio.

15. Estevão afirmava que as cerimônias mosaicas haviam se tornado obsoletas. Essa afirmação era considerada um ATAQUE ao judaísmo.

16. Para se defender, Estevão fez um discurso muito longo. Abordou os itens: a- Abraão e sua obediência; b- Isaque, Jacó e os 12 patriarcas; c- José e sua história;  d- Moisés, poderoso em palavras e obras;  d- Moisés e o monte Sinai;  e- Moisés e o bezerro de ouro;  f- tabernáculo de Moloque  a estrela do deus Renfã;   g- Josué;  h- Salomão;  h- Onde Deus habita…

17. Depois de falar muito, Estevão fez uma advertência aos seus ouvintes, para não resistirem o Espírito Santo e sobre a perseguição dos profetas.

18. As pessoas que estavam ouvindo, ficaram enfurecidas e rangiam os dentes contra Estevão. Nesse exato momento, Estevão se tornou um profeta, alguém que fala em nome de Deus.

19. “Mas ele, cheio do Espírito Santo, fitando os olhos no céu viu a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do Homem em pé à direita de Deus”. Atos 7:1-55

20. Então eles gritaram, taparam os ouvidos e arremeteram unânimes contra Estevão.

21. Estevão foi apedrejado até à morte. Antes de morrer, exclamou: “Senhor Jesus, recebe o meu Espírito”. Atos 7:59  As testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de Saulo, líder dos adversários de Estevão.

22. Estevão tomou uma posição definitiva ao lado de Jesus. Ele morreu, porém, não revelou medo nem arrependimento.

23. Estevão foi o primeiro cristão morto por causa da sua fé.

24. Depois da morte de Estevão, começou uma enorme perseguição contra os cristãos em Jerusalém, claro, liderada por Saulo. A igreja também sofreu grandes danos. Em seguida, espalhados pela Judeia e Samaria, saíram pregando o Evangelho.

25. Lucas relata que Filipe descendo à Samaria, pregava-lhes a Cristo. Foi uma bênção – saíam de muitos possessos os espíritos imundos, paralíticos e coxos foram curados. Havia muita alegria na cidade.

26. Para os judeus, a religião samaritana era corrompida, o que significa que os samaritanos não tinham nenhuma participação nas bênçãos da aliança de Israel. A inesperada conversão de samaritanos surpreendeu a Igreja de Jerusalém.

27. Primeiro os samaritanos e em seguida o etíope – um eunuco, estrangeiro que viera à Jerusalém para adorar e estava indo para casa. Encontrou-se com Filipe. Depois de um estudo bíblico, pediu o batismo. Ambos desceram à água, e Filipe o batizou. O Evangelho estava atravessando as fronteiras de Israel e chegando ao mundo conforme predito.

28. As boas-novas da morte de Jesus e a esperança de salvação estavam sendo espalhadas em todos os lugares.

Senhor Jesus, queremos ter a fé e a coragem de Estevão. Queremos ter o senso de missão de Filipe. Venha nos ajudar. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!
Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.

Link para a lição completa: http://mais.cpb.com.br/licao-adultos/