O conflito cósmico

Vejam os itens mais importantes:

1. Vivemos no fim dos dias Dn12:13. Contudo, não sabemos quando virá o fim. O que sabemos com certeza: o fim culminará com a Segunda Vinda de Jesus.
2. O que é necessário e muito importante saber: o fim virá e devemos estar preparados para esse momento. Como? Concentrando-nos no próprio Cristo, o único que é essencial para nossa preparação.
3. Quanto mais nos concentramos em Cristo, mais nos tornamos como Ele, mais Lhe obedecemos e mais preparados para ir com Ele para a eternidade. 
4. Cuidado!! Podemos correr o risco de ficarmos tão preocupados com as notícias, acontecimentos, catástrofes, manchetes locais emundiais, teorias sobre o fim e deixarmos o nosso preparo para depois… depois…
5. Vamos pensar… o que é conflito cósmico? Pode ser chamado também de “o grande conflito” –  é a cosmovisão bíblica. Ele forma o cenário no qual se desenrola o drama do nosso mundo, e até do Universo. Dentro do contexto do conflito cósmico ocorre: pecado, sofrimento, morte, a ascensãoa queda das nações, a propagação do evangelho e os eventos finais. A grande verdade: Todos nós participamos desse drama cósmico.
6. A boa notícia – um dia o conflito vai chegar ao fim, terminará com a vitória plena de Cristo sobre Satanás. 
7. A ótima notícia – por causa da plenitude do que Cristo fez na cruz, TODOS podemos compartilhar essa vitória. Deus nos chama a ter fé e a obedecer, enquanto aguardamos tudo que nos foi prometido em Jesus, cuja Segunda Vinda é certa.
8. Quando começou o conflito cósmico? Visto que Deus é amor e criou o Universo de maneira tão perfeita, certamente o conflito não surgiu de Deus. Mas o conflito está aqui, ele é real e todos estamos envolvidos nele.
9. A Bíblia ensina que o mal surgiu com Lúcifer, que desejou tomar o lugar de JesusEz 28:1 e 2; 11 a 17 e Is 14:12 a 14. Lúcifer era um ser perfeito e vivia num lugar perfeito.
10. Como foi possível que em Lúcifer surgisse a iniquidade em um ambiente celestial?  Resposta – NÃO SABEMOS. Não vamos entender. Não devemos tentar explicar. O apóstolo Paulo considera como “o mistério da iniquidade”. 2Ts 2:7
11. O que podemos afirmar? Fora da realidade do livre arbítrio concedido por Deus a todas as Suas criaturas inteligentes, não há razão para a queda de Lúcifer. 
12. Ellen G. White nos aconselha: é impossível explicar a origem do pecado,   do conflito ou do mal; o pecado é um intruso, e nenhuma razão se pode dar. Não devemos tentar explicá-lo porque podemos correr o risco de defendê-lo.
13. Lamentavelmente, o mal começou no coração de Lúcifer, no Céu. Conhecemos a história: foi expulso com outros anjos que recusaram obedecer a Deus.
14. A Bíblia relata com mais detalhes de como o mal surgiu na Terra.
15. Depois que Lúcifer e seus anjos foram expulsos do Céu, tentaram Eva e Adão. Conhecemos a história. O mais trágico: Eva e Adão conheciam as instruções e palavras de Deus; mesmo assim, cometeram o erro e foram expulsos do Jardim do Éden.
16. Podemos aprender com o erro de Eva e Adão. Uma das lições: não basta termos conhecimento, é preciso obedecer!!
17. A queda dos nossos primeiros pais afundou o mundo no pecado, na maldade e na morte. Desde a queda no Éden até os acontecimentos finais que levarão à Segunda Vinda de Jesus, é, em muitos aspectos, uma descrição do grande conflito. Repetimos: vivemos no meio desse conflito!
18. Lúcifer se rebelou contra o seu Criador e manifesta essa rebelião atacando também a criação.
19. Satanás é um fracassado: fracassou em sua batalha contra Jesus no Céu; fracassou quandoprocurou perseguir Cristo na Terra, por ocasião de seu nascimento humano. Foi derrotado quando tentou Jesus no deserto. Satanás confirmou sua derrota irreversível quando Jesus morreu na cruz. E depois de tanta derrota, ele desistiu? Não, Não, Não!
20. Satanás foi guerrear contra o povo de Cristo ao longo da história cristã. E atenção… Essa guerra continuará até o fim, até Lúcifer ser derrotado definitivamente, na Segunda Vinda de Jesus, como já afirmamos.
21. No livro do Apocalipse, João profetizou que o povo de Deus enfrentaria grande perseguição do inimigo contra a igreja. Ap 12:14   Ellen G. White, no livro O Grande Conflito, descreve que os cristãos foram falsamente acusados dos mais hediondos crimes e tidos como causa das grandes calamidades; eram condenados como rebeldes e muitos deles eram lançados às feras ou queimados vivos!
22. No contexto dos perigos dos últimos dias, Cristo prometeu “Eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”. Mt 28:20 Precisamos lembrar das palavras de Paulo quando disse que NADA, NADA pode nos  separar do amor de Deus.
23. A presença de Jesus conosco, não significa que não teremos problemas ou que seremos poupados da dor, do sofrimento, das provações e até mesmo da morte. A grande diferença: por meio de Jesus, temos a promessa de Sua companhia constante, o conforto do Espírito Santo e a esperança da vida eterna. Nós amamos a Sua Vinda!
24. Como adventistas do sétimo dia, cremos no Segundo Advento de Cristo, porque também acreditamos no Seu Primeiro Advento e Sua morte expiatória.
25. Nosso nome, “Adventistas do Sétimo dia, mostra dois elementos importantes: a lei e o evangelho. O evangelho são as boas-novas de que, apesar de termos pecado no sentido de que quebramos a lei de Deus, mediante a fé no que Cristo fez por nós na cruz, podemos ser perdoados da transgressão da lei. Além disso, recebemos o poder de obedecer a essa lei de maneira plena e completa.

Senhor Jesus, desejamos ser mordomos sábios e fiéis. Venha nos ajudar. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!
Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.

Link para a lição completa: http://mais.cpb.com.br/licao-adultos/