Mordomo Fiel

Reconhecer Jesus como Salvador é fácil; difícil é aceita-Lo como Senhor da nossa vida.

Depois da ressurreição, Jesus apareceu algumas vezes para Seus discípulos. Numa dessas aparições em que Tomé, também, estava, Jesus dirigiu-Se especialmente a ele, dando-lhe a oportunidade de colocar o dedo em Seus ferimentos. Quando o discípulo viu as marcas nas mãos de Jesus, declarou uma das verdades mais profundas das Escrituras: “E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu”! João 20:28.

Jesus acrescentou: “Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram”. João 20:29.

Em nossa jornada cristã devemos reconhecer Jesus como nosso Salvador pessoal, mas devemos aceitá-Lo, também, como Senhor de nossa vida.

Não basta apenas um Salvador. Cada crente deve compreender que Jesus é o Senhor supremo da vida.

Quando compreendemos isso e pela fé assim vivemos, é fácil compreender que somos mordomos de Deus.

Deus é o nosso Criador. Deus é o nosso Redentor. Deus é o Senhor da nossa vida.

Estamos desenvolvendo o binômio “adoração e louvor”.

Tudo em nossa vida, incluindo a vida religiosa, deve girar em torno disso.

Por que adorar a Deus? Porque Ele é o Senhor de tudo.

Por que louvar ao Senhor? Porque Ele é o Redentor, nosso Salvador.

Quando aplicamos isso para a mordomia financeira, percebemos que devolver fielmente o dízimo é adorar a Deus, tendo-O como Senhor da vida e de tudo, o Deus da criação.

Quando trazemos nossa oferta planejada e conforme as bênçãos, estamos louvando o Deus da nossa salvação.

Quem assim procede, ouvirá ao final a frase gloriosa do Senhor Jesus: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”,Mateus 25:21.

Louvado seja o Senhor!

Neumoel Stina

Pastor Sênior da IASD do UNASP, Campus São Paulo

pastorstina@gmail.com

@pastorstina

stina.com.br