O Dia do Juízo

A aplicação primária para o dia do juízo representa o dia final, ou dia do acerto de contas; mas, pode significar, também, o tempo do julgamento. Se aplicarmos ao tempo do julgamento, podemos dizer que está chegando o fim. E quando aplicamos ao dia do acerto de contas devemos entender que o dia final está exatamente diante de nós.

De uma ou de outra maneira, podemos afirmar sem medo: Jesus está voltando para separar os bons dos maus, para fazer a colheita, pois a seara da terra amadureceu. Os bons são os que aceitaram o plano de salvação e pela fé viveram conforme a vontade de Deus. Os maus são os que, rejeitando a graça de Deus, viveram segundo sua própria vontade. As palavras do Senhor Jesus a João são muito claras: “Eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras”. Apocalipse 22:12.

A Bíblia afirma que Deus não faz nada sem antes revelar aos servos, os profetas, (Amós 4:7). “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo”. Atos 17:30-31.

Assim, Deus revelou que haverá um juízo, juízo final. Muitas vezes nós usamos como ilustração para o dia do juízo, o dia da expiação que acontecia nos tempos do Antigo Testamento. Não é errado usá-lo para ilustrar o juízo, mesmo porque, quem não fosse aprovado no dia da expiação seria eliminado do meio do povo conforme orientação de Deus. Há no entanto uma diferença que não podemos esquecer jamais: o dia da expiação ocorria todos os anos, no dia dez do sétimo mês, e o dia do juízo, conforme exposto, é o dia do juízo final. Não haverá outro dia da expiação por assim dizer. Deus pronunciará a sentença que está em Apocalipse 22:11: “Continue o injusto na prática da injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se”. Não haverá mais como mudar de lado. Tudo estará definido para a vida eterna ou para a morte eterna.

Quando estudamos as profecias, percebemos que o tempo no relógio de Deus está acabando. Concluímos que o dia está próximo. Logo, muito logo, tudo estará terminado e Jesus aparecerá nas nuvens dos céus.

Há algo que eu não posso deixar de dizer. A diferença entre os que vão herdar a vida eterna para aqueles que, finalmente, serão destruídos é uma só. A vida devocional, a comunhão com Deus. Quem não tem tempo para Deus e para as coisas de Deus hoje, nunca terá tempo. Quem não coloca o reino de Deus em primeiro lugar, nunca o colocará. Quem não tem prazer em passar tempo com Jesus, nunca terá esse prazer. Quem não vive com Jesus agora, nunca viverá com Jesus.

Amados meus, a porta ainda está aberta e Jesus continua dizendo: “Vinde a Mim”, (Mateus 11:28).

Pr. Neumoel Stina

Pastor Sênior da IASD do UNASP Campus São Paulo