Atravessando a tempestade

Em qualquer viagem, de carro, navio, avião, trem ou outro meio de transporte estamos sujeitos ao enfrentamento de tempestades. Se a viagem é de avião, a tempestade pode ser sentida em forma de turbulência. Se é de carro, a visibilidade fica reduzida quase que por completo, e assim por diante.
As tempestades representam barreiras que temos que enfrentar e atravessar em nossa jornada. As tempestades variam de intensidade na vida de cada pessoa, mas é inimaginável passar pela vida sem ter provações. Veja as palavras de Jesus: “No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”. João 16:33.
Existem cuidados que devem ser tomados, para podermos atravessar as tempestades. Nos carros, fazemos revisões; nos aviões, manutenção e assim por diante.
Jesus deu algumas dicas de como podemos fazer a prevenção para a viagem da nossa vida. 1) Buscar primeiro o reino de Deus (Mateus 6:33). 2) Vigiar e orar (Mateus 26:41). 3) Perseverar até o fim (Mateus 24:13). Penso que esses três itens são suficientes para nossas considerações.
Colocar o reino de Deus em primeiro lugar, viver uma vida de oração e ser perseverante na fé são os passos principais para que sejamos vencedores na batalha da vida e atravessemos com tranquilidade as tempestades.
Assim como numa viagem, do outro lado da tempestade está a calmaria, a tranquilidade, a paz e na nossa vida também é assim. Quando a tempestade passa, o sol volta a brilhar ou então podemos ver o céu estrelado. Nenhuma tempestade dura para sempre.
Vamos pensar na vida do patriarca Jó. Poucas pessoas já enfrentaram uma tempestade tão grandiosa. O livro bíblico que leva seu nome, mostra em cores vivas, como Jó, esse homem de Deus, enfrenta uma tremenda tempestade e pela graça e misericórdia do Senhor sai-se vencedor.
Posso dizer que Jó aplicou com sabedoria os itens que mencionei acima. Jó permitiu em sua vida que a glória de Deus e seu reino eterno ocupassem o primeiro lugar. Posso afirmar, ainda, que Jó viveu uma vida de intensa comunhão com Deus e também perseverou até o final.
Deus declarou que ele era íntegro, reto, temente a Deus e se desviava do mal. Ele, por sua vez, registrou sua fé no Senhor quando disse: “Eu sei que meu redentor vive.” E o final da história mostra Deus renovando a vida de Seu servo.
Mesmo você, sendo um cristão fiel, não está livre das tempestades. Enfrente-as confiando plenamente no Senhor, pois Ele promete nos sustentar: “Porque Eu, o Senhor, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, Eu te ajudo”. Isaías 41:13.

Neumoel Stina
Pastor Sênior da IASD do UNASP Campus São Paulo