Sal e Luz

Jesus abriu o sermão da montanha com as bem-aventuranças. Elas representam a maneira de viver no reino da graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, preparando-nos para o reino da glória.

Ao terminar as bem-aventuranças, Jesus olha mais uma vez para os discípulos e declara: “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”, Mateus 5:13-16.

Sal e luz representam coisas imprescindíveis à vida. O sal dá sabor e preserva da degradação; a luz é vida e, ao mesmo tempo, dispersa a escuridão.

Se os discípulos de Jesus não cumprirem com o seu papel de darem sabor a este mundo, perdem na verdade, o sentido de sua existência. Da mesma maneira, a luz só tem sentido se ela estiver, aí, para iluminar. A função dos discípulos é iluminar o mundo.

Se o sal se torna insosso, já não serve para mais nada a não ser para ser jogado fora. Assim também a luz; ela precisa brilhar, senão perde o sentido da sua existência.

Nossa missão como cristãos é ser sal e luz, vivendo em comunhão com Jesus, manifestando a glória do nosso Deus, para que quando os homens e mulheres contemplarem as obras da salvação em nós, possam glorificar o nosso Pai que está nos céus.

Sejamos sal e luz pela graça de Deus!

 

Neumoel Stina

Pastor Sênior da IASD do UNASP, Campus São Paulo

pastorstina@gmail.com

@pastorstina

stina.com.br