Mensagem Pastoral 11.11.17 – Em Memória de Mim

Não existem muitas cerimônias na igreja cristã.
Normalmente realizamos a dedicação dos filhos, o batismo, o casamento, em alguns casos a unção e em outros momentos a cerimônia fúnebre, além do lava-pés e da santa ceia.
De todas as cerimônias a santa ceia é, talvez, a mais significativa e ao mesmo tempo mais bela.
A razão deve ser pelo fato de Jesus ter dito que deveríamos realizar a ceia em Sua memória.
Ele disse: “Fazei isto em memória de mim”, Lucas 22:19.
E Paulo, em 1 Coríntios 11, no verso 26 declara: “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha”.
A ceia é o anúncio da morte do Senhor, e ao mesmo tempo é a declaração da Sua segunda vinda.
Os símbolos são representativos. O pão, não levedado, representa o corpo de Jesus moído, ferido, transpassado por nossas transgressões, enquanto o vinho, sem fermento, é a representação do Seu sangue inocente, derramado para remissão dos nossos pecados.
Por ocasião da ceia, temos a real oportunidade de fazer uma revisão da nossa vida e da nossa comunhão com Deus. Uma coisa que chama a atenção é o fato de que a congregação fica em contrição e silêncio, diferentemente de qualquer outra reunião.
Ao terminar a ceia, naquela quinta-feira à noite, Jesus prometeu aos discípulos que nunca mais beberia do fruto da videira, até o dia quando, no reino do Pai, poderia, então, realizar a ceia com seus discípulos de todos os tempos.
Penso que o Senhor Jesus está ansioso para que aquele dia chegue logo, e, assim, devemos nós está esperando o grande dia, quando haveremos de cear com Jesus na eternidade.
Louvado seja Deus porque o dia está chegando!
Neumoel Stina
Pastor Sênior da IASD do UNASP, Campus São Paulo
pastorstina@gmail.com
@pastorstina
stina.com.br