Marcas de um Mordomo

Vejam os itens mais importantes:
1. A marca ou o sinal de um mordomo cristão, é um reflexo do amor de Cristo mediante seu relacionamento com Ele.
2. Quando vivemos e praticamos os traços do caráter de Cristo, revelamos nossa marca. Nossa marca é Sua marca; nossa identidade está associada à identidade Dele. Paulo afirma em I Co 6:17 “Porem quem se une com o Senhor se torna, espiritualmente, uma só pessoa com Ele”.
3. Marca 1 do mordomo – Fidelidade. Fiel = confiar; significa sólido ou firme.
Paulo afirma em I Co 4:2 […] se requer dos despenseiros ou mordomos é que cada um deles seja encontrado FIEL. Lutar e vencer o bom combate da fé é fundamental para um mordomo fiel.
4. Deus é fiel (sempre foi e sempre será), e assim devemos ser mediante Sua atuação em nós. Ser fiel significa permanecer firme pelo que sabemos ser o certo, especialmente no momento mais difícil ou violento de nossas batalhas espirituais.
5. Os conflitos espirituais entre o certo e o errado, o bem e o mal, certamente ocorrerão. Eles fazem parte da luta da fé. O que caracteriza os mordomos em toda a situação é sua decisão de ser fiel.
6. Exemplos de situações de fidelidade: a- se temos a tendência de amar as riquezas, devemos ficar atentos (ser fiéis) ao que Deus diz sobre os perigos do amor ao dinheiro;  b-  se temos o desejo pela fama, devemos ficar atentos (ser fiéis) ao que Deus diz sobre a humildade;  c- se lutamos contra pensamentos sensuais, precisamos conhecer (ser fiéis) o que Deus diz sobre santidade; d- se temos o desejo de poder, devemos ficar atentos (ser fiéis) ao que Deus afirma sobre o servo de todos, etc.
7. Atenção: muitas vezes, a decisão de ser fiel ou não, é feita em uma fração de segundo, mesmo que as consequências sejam eternas.
8. A história relata palavras decisivas de Martinho Lutero perante o imperador: “[…] juro permanecer fiel ao evangelho e confesso livremente minha fé, mesmo que eu tenha que selar meu testemunho com sangue”.
9. Marca 2 do mordomo – Lealdade – é a expressão visível de nossas crenças pessoais, fé e compromisso.
10. A lealdade, assim como o amor, deve ser livremente oferecida, ou não é lealdade verdadeira. Um exemplo de lealdade na Bíblia, é Jó. Sofreu muito, não desistiu; confiou, amou e manteve seu relacionamento com Deus.
11. A lealdade de Jó foi inabalável. Honesto e sem medo de louvar a Deus, pronunciou: “Embora Ele me mate, ainda assim esperarei Nele”. Jó 13:15
12. A lealdade de Jó serve de modelo para os mordomos.
13. Marca 3 do mordomo – Consciência Limpa – uma das coisas mais preciosas que podemos possuir.
14. Nossa consciência funciona como um monitor interno de nossa vida exterior. A consciência precisa se ligar a um alto e perfeito padrão: A LEI de DEUS. O segredo é gravá-la no nosso coração e praticá-la. Nosso exemplo é Jesus, porque a Lei Divina estava em Seu coração e perfeitamente a praticou.
15. Paulo ensina em Hebreus 10:19-22 e 1Tim 4:1,2  – Por causa da morte de Jesus na cruz, Ele Se tornou nosso grande sacerdote. Portanto, cheguemos perto de Deus com um coração sincero, uma fé firme com uma consciência limpa de nossas culpas; nos últimos tempos alguns abandonarão a fé, darão atenção a espíritos enganadores. Esses ensinamentos são espalhados por pessoas hipócritas e mentirosas, pessoas cuja consciência está morta, como se tivesse sido queimada com ferro em brasa ou cauterizada.
16. A única solução para a má consciência é o sangue de Cristo, que  purifica por dentro, tirando as culpas.
17. Ellen G. White ensina que a mente deve ser clara e pura para que possa distinguir entre o bem e o mal. Ela diz ainda: quando a Lei de Deus é escrita no coração do cristão, e ele, pela fé, procura seguir essa Lei, o resultado é uma consciência limpa.
18. Marca 4 do mordomo – Obediência. A obediência começa na mente. Ela envolve o processo delicado de aceitar mentalmente a responsabilidade de executar ordens dadas por um superior. Em relação a Deus, a obediência é uma ação voluntária e de amor, que molda nosso comportamento para com as obrigações morais.
19. A obediência deve ser tão específica quando Deus ordena, e não como desejamos que ela seja.
20. Quando pensamos em Caim e Abel, podemos afirmar: Caim é um exemplo perfeito de alguém fazendo a própria vontade em vez de fazer o que Deus pede. Abel, um excelente exemplo: fez perfeitamente o que Deus tinha ordenado.
21. Quando obedecemos, significa que amamos ao Senhor.
22. Não obedecemos para ser salvos, mas porque fomos salvos. A obediência é a declaração prática de uma fé virtuosa. Samuel afirma que obedecer é melhor que o sacrificar.
23. Marca 5 do mordomo – Digno de Confiança – a confiabilidade implica uma série de traços de caráter que demonstram maturidade. Ela é o mais alto nível de caráter e competência que uma pessoa pode alcançar aos olhos de seus observadores.
24. As pessoas percebem se somos, ou não, dignos de confiança. Ser digno de confiança, é uma demonstração do desempenho do nosso caráter em todas as nossas responsabilidades; um teste para o Céu.
25. A confiabilidade é a joia da coroa da ética; ela exibe seus princípios morais da maneira mais pura. Surge ao longo do tempo, à medida que somos fiéis nas pequenas coisas.
26. Daniel foi considerado digno de confiança por monarcas de dois reinos mundiais.
27. Ellen G. White apela para sermos mordomos fiéis do Reino de Cristo, dignos de confiança, para que o mundo possa ver a bondade, misericórdia, compaixão e cortesia dos cidadãos do reino de Deus.

Senhor Jesus, desejamos ser mordomos sábios e fiéis. Venha nos ajudar. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!
Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.

Link para a lição completa: http://mais.cpb.com.br/licao-adultos/