Judas

O que vem à sua mente quando ouve esse nome? Traição? Falsidade? Engano? Apostasia? O que está por detrás da história trágica e triste de um apóstolo que recebeu poder para curar doentes e expulsar demônios?
Judas, antes de trair Jesus, traiu um sagrado depósito, uma sagrada oportunidade.
Judas tinha naturalmente grande amor ao dinheiro e alimentou esse espírito de avareza e ambição materialista até que foi dominado pelo egoísmo. O amor ao dinheiro sobrepujou o amor a Jesus. Tornando-se escravo de um vício, entregou-se a Satanás, para ser impelido a toda extensão do pecado.
Cegado para a fraqueza de seu caráter, Cristo o colocou onde pudesse ter oportunidade de ver e corrigir o mal, mas quando Judas percebeu que Deus oferecia bens espirituais em vez de terrenos, endureceu seu coração na maldade.
Judas nunca chegou ao ponto da entrega completa e cultivou a disposição de criticar e acusar os demais apóstolos e o próprio Senhor Jesus Cristo.
O pecado é uma forma de amor ao objeto errado e Judas acariciou amor ao ganho abrindo uma porta para Satanás encontrar lugar de aceitação e domínio.
Judas foi dominado por aquilo com que condescendeu e não venceu. Sua vida se tornou cativa da vontade do próprio diabo. Ele criou um elo com o inimigo de sua salvação e jamais rompeu, pagando com o suicídio seu orgulho pecaminoso, morrendo como um perdido.
“Se queremos ser salvos afinal, teremos de aprender aos pés da cruz a lição de arrependimento e humilhação” DTN 83.
Judas foi o único apóstolo que não permitiu Deus transformar seu caráter e, portanto, mudar seu destino. Que o Espírito Santo de Deus não apenas nos convença do nosso pecado, mas tenha livre acesso e liberdade para transformar radicalmente nosso coração e nosso caráter! Isso continua sendo uma questão de escolha, decisão e entrega!

Pr. Gilson Grüdtner