Detenção em Cesareia

Vejam os itens mais importantes:

1. Na semana passada, vimos que Paulo  foi levado até o Sinédrio para ser interrogado. As acusações contra ele eram falsas. Sofreu humilhação; bateram em sua boca por ordem do sacerdote Ananias. Depois foi levado escoltado para Cesareia onde ficou preso por dois anos, no pretório de Herodes, residência do governador romano. Atos 23:35

2. Paulo participou de várias audiências diante de dois governadores romanos, Félix e Pórcio Festo (nome completo) e um rei, Herodes Agripa II (nome completo). Paulo sempre se declarou INOCENTE, alegando que nenhuma evidência podia ser produzida contra ele.

3. Paulo não havia feito NADA que justificasse a prisão e poderia ser posto em liberdade. Atos 26:32.

4. Nessas audiências, Paulo aproveitou para testemunhar sobre Jesus e a grande esperança encontrada na promessa da ressurreição. No entanto, na condição de preso, sofreu profunda ansiedade e não teve apoio da igreja de Jerusalém.

5. Diante do governador Félix, o que aconteceu? cinco dias depois que Paulo foi transferido para Cesareia, apareceu um grupo formado por líderes judeus, sumo sacerdote, alguns membros do sinédrio e um advogado chamado Tértulo e formalmente apresentaram 3 acusações contra Paulo: 1- ele era um agitador e fomentava distúrbios entre os judeus por todo o império; 2- ele era um líder dos nazarenos e o cristianismo era um movimento revolucionário; 3- ele havia profanado o templo de Jerusalém.

6. O governador permitiu que Paulo se defendesse e começou a dizer: 1- não me acharam no templo discutindo com alguém, nem amotinando o povo nem nas sinagogas e nem na cidade; 2- depois de anos, vim trazer esmolas à minha nação e também fazer oferendas e nesta prática, alguns judeus da Ásia, me encontraram purificando no templo, sem ajuntamento e sem tumulto;  3-  hoje sou julgado por vós acerca da ressurreição dos mortos… fiquem sabendo que eu sirvo ao Deus dos nossos pais e acredito na lei e nos escritos dos profetas que haverá ressurreição, tanto dos justos como de injustos.

7. Depois dessa excelente defesa, Felix, o governador, entendeu o peso dos argumentos de Paulo, porque conhecia um pouco sobre o cristianismo por causa de sua esposa judia, Drusila. Então, Félix, decidiu suspender o  processo, pois queria mais informações. Na linguagem de hoje, pediu “vista”.

8. Como era o caráter de Félix? corrupto e oportunista! Ele procrastinou, isto é, transferiu uma ação importante para outro momento.

9. Félix foi substituído por Festo no governo da Judeia de 60 a 62 d.C.

10. Como os judeus acusadores de Paulo não tinham alcançado êxito, não quiseram arriscar novamente. E então, o que fizeram? solicitaram a Festo para que enviasse Paulo de volta para ser julgado pelo Sinédrio, de acordo com a lei judaica. A intenção era horrível: MATAR Paulo.

11. Festo declarou que a audiência ocorreria em Cesareia, não em Jerusalém, porque Paulo seria julgado pela lei romana. Pois bem, Festo voltou para Cesareia e convocou o tribunal e ouviu os acusadores de Paulo. Surpreendentemente, o acusaram das mesmas coisas há dois anos antes.

12. Quando Paulo percebeu que Festo poderia usá-lo por razões políticas e que não seria tratado com justiça em Jerusalém, e que seria entregue aos caprichos de seus inimigos, apelou a César.

13. Por que César? Paulo acreditava que tinha direito de ser julgado por um tribunal romano, a mais alta instância da justiça romana, que era o próprio imperador.

14. Festo aceitou o pedido de Paulo e o enviou a Roma. Atos 25:12 Enquanto isso, Festo recebeu uma visita do rei Agripa  e aproveitou a oportunidade para consultá-lo a respeito do caso de Paulo.

15. O rei Agripa depois de ter ouvido todas as acusações contra Paulo, solicitou que queria ouvir o apóstolo.

16. Quando o rei Agripa foi ao encontro de Paulo permitiu que ele se defendesse e rapidamente começou a falar: a- “estou sendo julgado por causa da esperança da promessa por que Deus foi feita a nossos pais, isto é, a ressurreição dos mortos por Deus; b- eu trabalhava contra Jesus, o Nazareno, e cheguei a encerrar muitos santos nas prisões e dava o voto para matá-los; os castiguei nas sinagogas e os perseguia;  c- um dia, fui para Damasco levando autorização para fazer o mal a esses santos e … algo muito especial aconteceu comigo: tive um encontro com Jesus” (narrou com todos os detalhes).

17. Depois desse encontro, ó rei Agripa, disse Paulo, não fui desobediente à visão celestial. “Testemunhei aos de Damasco, Jerusalém, por toda a região da Judeia e aos gentios que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras de arrependimento. Por isso, alguns judeus me prenderam e tentaram me matar. Eu alcancei socorro de Deus e aqui estou testemunhando que Cristo devia padecer, e sendo o primeiro da ressurreição dos mortos, anunciaria a luz ao povo e aos gentios”. Atos 26:1-23

18. Quando Paulo falou tudo isso, o rei Agripa disse: “Estás LOUCO, as muitas letras te fazem delirar”. Paulo respondeu: “Não estou louco, digo a verdade”. O rei Agripa confessou que “por pouco me persuades a me fazer cristão” ou… “Você acha que em tão pouco tempo pode convencer-me a tornar-me cristão?” Atos 26:28 NVI

19. Paulo aproveitou a oportunidade e perguntou para o rei Agripa: “Acreditas nos profetas? Bem sei que acreditas”. Atos 26:27

20. O rei Agripa, que era judeu, nunca negaria sua crença nas Escrituras e nem deixaria de aceitar Jesus como o Messias.

21. E daí? O governador Festo, o rei Agripa e sua esposa Berenice, conversaram uns com os outros e com as pessoas que estavam assentados ali dizendo que Paulo nada tinha feito para ficar preso e morrer.

22. Paulo revelou um grande compromisso com o evangelho. Ele queria que os ouvintes pudessem ter a mesma experiência espiritual que ele tinha. Ele não demonstrou preocupação com a sua liberdade.

23. Finalmente, o rei Agripa disse para o governador Festo:  “Paulo poderia ter sido solto se não tivesse apelado para César.”  Atos 26:32

Senhor Jesus, dá-nos sabedoria para nos defender a nós mesmos e defender a nossa fé de maneira tão brilhante como fez Paulo. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço! 

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.