Da fornalha ao palácio

Segue o Resumão da Lição desta semana – Da fornalha ao palácio – que elaborei com muito carinho.
Vejam os itens mais importantes:
1. O estudo desta semana é muito importante para todos nós cristãos, porque a partir dessa história, obtemos ideias sobre os problemas que, de acordo com as Escrituras enfrentaremos por causa da nossa fidelidade a Deus.
2. Os quatro hebreus: Daniel, Hananias, Misael e Azarias, imbuídos do Espírito Santo: a- declararam a toda a nação a sua fé, que O Deus que adoravam era o Deus verdadeiro a quem reverenciavam o Seu nome; b- praticavam princípios bíblico-cristãos, de acordo com a vontade de Deus; c- demonstravam que o Senhor era o único motivo de sua honra e culto, e que jamais adorariam outro deus ou imagem, mesmo correndo o risco de morte.
3. O rei Nabucodonosor resolveu construir uma grande estátua, cerca de 20 anos após receber a revelação de seu sonho por Daniel.
4. Quais foram as principais razões para o rei construir essa grande estátua? a- não satisfeito em ser apenas a cabeça de ouro na estátua do sono, ordenou que criasse uma estátua inteira de ouro, porque queria que todos soubessem que seu reino duraria muito tempo; b- o rei era orgulhoso e arrogante, não aceitava a ideia que seu reino passaria; c- para evocar seu poder e avaliar seus súditos; d- tinha voltado à idolatria, mesmo tendo vivenciado maravilhas reveladas a ele pelo Deus verdadeiro de Daniel por duas vezes. Mesmo assim…
5. O rei mandou construir uma grande estátua de ouro e ordenou que a colocassem na planície de Dura. Mandou construir também uma fornalha bem quente para ameaçar os desobedientes e impor o seu poder. Alimentava a ilusão de que seu reino não seria destruído.
6. As medidas da estátua = 27m de altura e 2,7m de largura. Quando ficou pronta, o rei mandou ajuntar “os sátrapas, os prefeitos, os governadores, os juízes, os tesoureiros, os magistrados, os conselheiros e todos os oficiais das províncias, para que viesse à consagração da imagem”. Dn 3:3
7. E tudo foi combinado pelo rei: quando as pessoas ouvissem o som de 7 instrumentos musicais, deveriam se prostrar e adorar a estátua. Ordenou: “Qualquer que se não prostrar e não a adorar, será no mesmo instante lançado na fornalha ardente”. Dn 3:6
8. Estava tudo pronto! Seguindo as instruções do rei, quase todas as pessoas, ao som dos 7 instrumentos musicais, curvaram-se e adoraram a estátua, somente Sadraque, Mesaque e Abede-Nego ousaram NÃO obedecer ao rei.
9. Os acusadores correram contar para o rei a respeito dos 3 jovens “desobedientes”. Esses acusadores irritaram ainda mais o rei dizendo: 1- tinha sido o próprio rei que havia colocado aqueles três jovens para administrar a província de Babilônia; 2- aqueles jovens não serviam aos deuses do rei; 3- eles não adoraram a estátua que o rei havia estabelecido, logo, desobedeceram…
10. Depois que o rei ouviu todas aquelas acusações, resolveu dar mais uma chance àqueles rapazes. Mandou chamá-los e encerrou seu apelo com uma afirmação muito arrogante: “E quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas mãos?” Dn 3:15
11. A resposta dos 3 hebreus constitui na nossa opinião, uma das mais lindas declarações de amor e fidelidade a Deus: “Ó Nabucodonosor, quanto a isto não necessitamos responder. Se o nosso Deus, a quem servimos, quer livrar-nos, Ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e das tuas mãos, ó rei. Se não, fica sabendo, ó rei, que NÃO SERVIREMOS a teus deuses, NEM ADORAREMOS a imagem de ouro que levantastes”. Dn 3:17 e 18
12. Atenção! Os jovens não tinham a garantia do livramento de Deus, mas tinham a certeza que jamais adorariam outros deuses! Que fé! Que história linda!
13. E o que aconteceu? Os três jovens foram lançados na fornalha ardente, sete vezes mais quente por ordem do rei e imediatamente apareceu um QUARTO HOMEM no meio do fogo. Sim, era Jesus Cristo em uma forma pré-encarnada vindo mostrar que Deus permanece com Seu povo em suas provações.
14. Ellen G. White afirmou que “Na presença do Senhor do calor e frio, as chamas perderam seu poder de consumir”.
15. Lembramos da linda promessa que Deus declarou em Isaías 43:2 “Quando passares pelas águas, Eu serei contigo; quando, pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem chama arderá em ti”.
16. Ao refletirmos sobre essa história, podemos perguntar: qual era o segredo de uma FÉ tão forte? Poderiam ser mortos queimados, mas permaneceram firmes!
17. Resposta: a verdadeira fé é medida pela qualidade do nosso relacionamento com o Senhor e sua resultante confiança absoluta Nele. Rende nossa vontade à vontade de Deus. Significa fazer a coisa certa, a despeito das consequências.
18. Mostramos verdadeira fé quando pedimos ao Senhor o que desejamos, mas confiamos que Ele fará o melhor para nós, mesmo que no momento não entendamos o que está acontecendo e nem o porquê.
19. Onde estava Daniel quando aconteceu esse episódio com seus amigos? Duas hipóteses na opinião do Pastor Leandro Quadros, levando em conta estudos da Arqueologia: 1- Daniel poderia estar ao lado do rei no palanque; 2- poderia ter sido enviado para uma missão especial fora do reino para poupá-lo, porque o rei tinha certeza que ele não adoraria aquela estátua. E mais… o histórico de Daniel era maravilhoso: “[…] mas não puderam achar nenhuma culpa, porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa”. Dn 6:4
20. E a conclusão da história: o rei ficou espantado quando viu 4 homens passeando pelo fogo e declarou que um era como um filho dos deuses. Então, o rei chegou perto da porta da fornalha e ordenou que os três jovens, servos do Deus Altíssimo saíssem. Impressionante… estavam perfeitos, nem foram chamuscados os cabelos e nem tinham cheiro de fogo!
21. O rei fez um decreto para que ninguém fizesse nenhuma blasfêmia contra o Deus daqueles jovens… Dan 3:29 Então, o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego na província de Babilônia. Dn 3:30. Daí… o título da Lição…Da fornalha ao palácio!
22. Existe paralelos de Dn 3:8-15 e Ap 13:11-18 – o que aconteceu no tempo de Daniel e o que acontecerá no futuro: em ambas as passagens bíblicas, vemos Babilônia forçando a adoração à sua imagem. Nunca vamos esquecer – O mandamento de adorar unicamente o Deus Criador deve ser nossa decisão em qualquer tempo e em qualquer lugar e em qualquer circunstância.
23. Com a ajuda de Deus, devemos ficar do lado de fora das 6 categorias de pessoas que vão oferecer adoração à imagem da besta: “os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos”. Ap 13:16
24. Ellen G. White escreveu “Os tempos de provação que estão diante do povo de Deus reclamam uma FÉ que não vacile. Seus filhos devem tornar manifesto que Ele é o único objeto de seu culto […] A verdade será obedecida, embora o resultado seja prisão, exílio ou morte”.
25. Não podemos deixar de mencionar: nem sempre homens de Deus foram poupados no passado – Isaías e Zacarias foram mortos por reis impiedosos, João Batista morreu apedrejado; muitos cristãos em todos os tempos sofreram e alguns morreram por causa da sua fé e por seguirem a Cristo.
26. E nós hoje? Estamos dispostos a seguir a Jesus custe o que custar? Para pensar e refletir: Quais são algumas das coisas que atualmente somos tentados a adorar ?
27. Aplicações da Lição para nós hoje: 1- precisamos manter fidelidade a Deus nas pequenas coisas e mesmo sob pressão; 2- devemos escolher ser fiel a Deus até à morte; 3- precisamos praticar uma fé verdadeira; 4- o orgulho é perigoso, pode nos levar ao fracasso; 5- é preciso reconhecer que nossas realizações materiais e intelectuais um dia desaparecerão, buscar a eternidade é mais importante.

Senhor Jesus, pedimos que nos ajude. Queremos ter a fé verdadeira de Daniel, Sadraque, Mesaque e Abde-Nego. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem!
Um abraço!

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP.