A prova mais convincente

Vejam os itens mais importantes:
1. Nosso estudo está no foco da unidade visível da igreja, manifestada na vida cotidiana dos cristãos e na missão da igreja.
2. De acordo com Jesus, a igreja não somente anuncia a mensagem divina da salvação e reconciliação; a igreja também é uma expressão essencial dessa reconciliação.
3. A igreja é um testemunho visível da obra salvadora e do poder de Cristo.
4. Uma constatação: sem a unidade e a solidariedade da igreja, o poder salvífico da Cruz dificilmente seria visto neste mundo.
5. Ellen G. White escreveu: “A unidade com Cristo estabelece um vínculo de unidade de uns com os outros. Essa unidade é, para o mundo, a mais convincente prova da majestade e da virtude de Cristo, bem como de Seu poder de tirar o pecado”.
6. A unidade da igreja também é um dom de Deus. A unidade NÃO É uma criação dos nossos esforços, boas obras ou intenções. CRISTO criou a unidade por meio de Sua morte e ressurreição.
7. Por meio do batismo e do perdão dos nossos pecados e ao nos unirmos em comunhão e espalharmos as três mensagens angélicas ao mundo, estamos em união com Cristo e em unidade uns com os outros.
8. Logo, temos um Pai em comum; somos todos filhos e filhas de Deus. E temos um Salvador em comum, em cuja morte e ressurreição somos batizados.
9. Todos concordam que o nosso mundo é conhecido por desordem, problemas, guerras e conflitos. Todos esses fatores afetam nossa vida pessoal, comunitária e nacional. Mas a desunião e a desordem não prevalecerão para sempre. Amém!
10. Deus está em uma missão para promover o plano eterno visando promover a  unidade  cósmica e a reconciliação.
11. Por meio da Cruz de Cristo, os judeus e gentios formaram um só povo e foram destruídas as barreiras étnicas e religiosas que os separavam. Jesus ainda pode fazer muito mais para derrubar as barreiras étnicas e culturais que dividem as pessoas em  nossa igreja HOJE.
12. Paulo afirmou que, em Cristo, somos novas criaturas, reconciliadas com Deus. Sendo assim, qual é o nosso ministério neste mundo? 1- proclamar ao mundo uma mensagem para o tempo do fim; 2- convidar os que ainda estão separados de Deus a se reconciliarem com Ele e se juntarem a nós em nossa missão;  3- promover e vivenciar a reconciliação uns com os outros – realidade visível;  4- sermos conhecidos como discípulos de Jesus, amando-nos uns aos outros. João 13:35
13. Estarmos unidos a Cristo, significa que estamos unidos uns aos outros. Isso pode produzir paz e harmonia entre nós.
14. Mediante o ministério da reconciliação, a igreja declara ao universo que o divino plano da redenção é verdadeiro e poderoso.
15. Na medida em que a igreja cultiva a unidade e a reconciliação, o universo vê a obra da sabedoria eterna de Deus. Ef 3:8-11
16. Ellen G. White nos inspira dizendo “todo cristão deve ser o que Cristo foi em Sua vida nesta Terra. Ele é o nosso exemplo, não apenas em Sua PUREZA imaculada, mas em Sua PACIÊNCIA, MANSIDÃO e Disposição cativante”.
17. Paulo apela: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus”.   Fp 2:5   Que profundidade!
18. Paulo nos dá vários conselhos nas Escrituras para mostrar a nossa fidelidade a Jesus e testemunhar o Evangelho: 1- buscar o bem-estar das outras pessoas;  2- suportar os fardos uns dos outros;  3- viver na simplicidade;  4- concentrar-nos na espiritualidade interior em lugar da ostentação externa;
19. Continuação: 5- abster-nos dos desejos carnais que guerreiam contra a alma;  6- vivermos entre os pagãos de maneira exemplar, observando as boas obras para glorificar a Deus;  7- demonstrar paciência em momentos de aborrecimento;  8- ter uma vida disciplinada em meio a tensão e conflitos;  9-  demonstrar gentileza em resposta à impaciência e às palavras ríspidas – marcas do espírito de Jesus.
20. Ao testemunhar o caráter de Deus de maneira correta, nós, adventistas do sétimo dia, tornamo-nos uma FORÇA para o bem e para a glória de Deus.
21. Como representantes de Cristo, os cristãos devem ser conhecidos não só pela RETIDÃO MORAL, mas também por seu interesse prático pelo bem-estar dos outros.
22. Para refletir: Como estamos testemunhando para as pessoas? A minha vida e a sua vida fazem com que as pessoas desejem seguir Jesus?
23. Paulo ensinou que precisamos ter tolerância com as opiniões das  outras pessoas, aquelas que não estão relacionadas às questões de salvação. Afirma ainda que cada um deve agir de acordo com sua consciência individual. Exemplo – tipo de comida consumida. Não inclui animais proibidos em Levítico 11. Havia pessoas na comunidade romana que não participavam das refeições comunitárias porque não estavam convencidas de que os alimentos das refeições tivessem sido preparados de maneira correta.
24. Outro assunto que debatiam – vários dias de festas judaicas ou de jejum. Paulo queria incentivar a TOLERÂNCIA para com os que eram sinceros.
25. A unidade entre os cristãos é manifestada na PACIÊNCIA e TOLERÂNCIA quando não concordamos em alguns pontos. Atenção… não estamos falando de princípios ou de questões relacionadas à nossa salvação.
26. Durante a Ceia, os discípulos estavam divididos pela competição e pelo desejo da supremacia. Antes do Pentecostes, eles se uniram em oração e companheirismo, buscando o Espírito Santo para cumprir a missão. Quanta diferença!
27. A mudança no coração dos discípulos justifica porque “perseveraram unânimes” ou perseveraram com uma só mente. Poderiam lembrar dos erros de cada discípulo, mas resolveram NÃO CRITICAR uns aos outros e sim, fazerem um exame de coração. Suplicavam bênçãos não apenas para si mesmos.
28. Quando os discípulos se aproximaram de Deus e abandonaram suas diferenças pessoais, foram preparados para receberem o ES para se tornarem testemunhas de Jesus. Que lição para nós como igreja hoje!

Senhor Jesus, pedimos que o Senhor nos ajude a amar e respeitar as pessoas como o Senhor nos ensinou. Queremos testemunhar o caráter de Deus. Amém!

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.