A primeira viagem missionária de Paulo

1. É verdade que o evangelho deveria alcançar os gentios, bem como os judeus. O primeiro registro explícito sobre gentios que se uniram à fé em larga escala se refere a Antioquia. Podemos afirmar que a primeira igreja gentílica foi fundada em Antioquia. Surpreendentemente, havia nessa região muitos judeus.

2. A igreja havia crescido rapidamente e se tornado o primeiro centro cristão importante fora da Judeia, chegando até ultrapassar a igreja de Jerusalém.

3. Com o apoio dos cristãos locais de Antioquia, Paulo saiu para realizar três viagens missionárias. O que Jesus almejava estava acontecendo em relação ao cristianismo: uma religião mundial, na qual o evangelho seria espalhado para “cada nação, e tribo, e língua, e povo”. Ap 14:6

4. Vamos focalizar nosso estudo na primeira viagem, Atos 13 e 14. Paulo afirma que essa ação missionária teve origem em Deus, não na iniciativa própria dos irmãos de Antioquia, o que mostra que Deus só atua por nosso intermédio quando nos colocamos voluntariamente em uma posição na qual Ele possa nos usar.

5. Quais foram as primeiras atividades de Barnabé e Paulo em Chipre? Chipre, era uma ilha não muito longe de Antioquia. Eles participaram de um período de oração intercessória e jejum. Participaram também da imposição de mãos, um ato de consagração; João Marcos, primo de Barnabé, se juntou a eles para fazer o trabalho; pregaram nas sinagogas de Silamina; Depois de Silamina, o trio foi para o oeste até chegar à capital, Pafos.

6. O que aconteceu em Pafos? Encontraram um mágico ou feiticeiro, falso profeta, chamado Barjesus, ou Elimas que estava com o governador de uma província romana chamado Sérgio Paulo.

Sérgio Paulo, estava interessado em ouvir a mensagem de Paulo e Barnabé, mas Barjesus o atrapalhava. Então, Paulo, cheio do Espírito Santo, disse para Barjesus: “ó filho do diabo, cheio de engano e de toda malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perverter os caminhos do Senhor? Por isso, ficarás CEGO”…  Sérgio Paulo, ficou maravilhado. Depois desse acontecido, Paulo e Barnabé foram para Perge, na Psídia, na costa sul da moderna Turquia. Atos 13:10 e 11

7. Em Psídia, houve duas mudanças: 1- Paulo se tornou a figura principal da viagem missionária; 2- Paulo não era mais conhecido como Saulo. Paulo estava numa região grego-romana e o nome grego Paulo era mais adequado.

8. O autor relata que João Marcos, acabou voltando para Jerusalém, não estava disposto a acompanhar Paulo e Barnabé, pois se sentia com medo

e desanimado por causa das dificuldades que os aguardavam.

9. Deus nunca prometeu que seria fácil. Paulo e Barnabé sabiam desde o início que servir a Jesus envolveria muito sofrimento, mas eles aprenderam a confiar inteiramente no poder de Deus.

10. Em Psídia, num sábado, Paulo e Barnabé entraram numa sinagoga e se sentaram. Depois da leitura da lei e dos profetas, os chefes da sinagoga perguntaram para eles se tinham alguma palavra para dizer. Paulo levantou-se e fez um sermão dividido em 3 partes: a- crenças em comum a respeito da eleição divina de Israel e do reinado de Davi – contato com os judeus;  b- Jesus como cumpridor da promessa de Deus de um descendente de Davi que traria salvação a Israel;   c-  advertência contra a rejeição da salvação oferecida por Jesus.

11. O clímax do sermão de Paulo – Atos 13:38 e 39 – Perdão e justificação

apenas por Jesus, não pela lei de Moisés.

12. A lei não pode justificar, a lei não pode produzir obediência naqueles que a observam. Justificação não pode ser obtida por merecimento. Podemos recebê-la somente pela fé no sacrifício expiratório de Jesus; um presente que não merecemos.

13. Depois do sermão de Paulo, muitas pessoas espalharam a notícia de que podiam experimentar a salvação sem antes ter que se unir ao judaísmo, e isso era atrativo. Claro, os judeus ortodoxos, não gostaram e passaram a persegui-lo.

14. As autoridades em Antioquia expulsaram Paulo e Barnabé da cidade. Surpreendentemente, os discípulos transbordavam de alegria e do Espírito Santo. Em seguida, se dirigiram para Icônio. 

15. Em Icônio, novamente, Paulo e Barnabé começaram a pregar para os judeus antes de se voltarem para os gentios. Paulo tinha uma esperança de uma ampla conversão judaica.

16. De igual modo, Paulo e Barnabé entraram juntos na sinagoga judaica e falaram de modo que grande multidão de judeus e gentios creram. Infelizmente, os judeus incrédulos incitaram e irritaram os gentios e o povo ficou dividido e surgiu um tumulto.

17. Novamente, as autoridades queriam apedrejar a dupla… quando ficaram sabendo, fugiram para Listra que ficava cerca de 18 km de Icônio.

18. Em Listra, Paulo curou um paralítico de nascença. Quando as pessoas ficaram sabendo do milagre, começaram a chamar Paulo e Barnabé de deuses e queriam oferecer-lhes sacrifício = Paulo, deus Hermes; Barnabé, deus Zeus.  

19. Ouvindo isso, os apóstolos rasgaram suas vestes e advertiram àquelas pessoas que eles não eram deuses, mas homens como eles, sujeitos aos mesmos sentimentos. Estavam ali para anunciar o evangelho para que elas se convertessem ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles.

20. Os apóstolos impediram com dificuldade que o povo lhes oferecessem sacrifícios… então… apedrejaram Paulo e o levaram para fora da cidade, dando-o por morto.

21. Paulo foi cuidado pelos discípulos e no dia seguinte partiu com Barnabé para Derbe, onde anunciaram o evangelho e fizeram muitos discípulos. Paulo e Barnabé exortavam as pessoas a permanecerem firmes na fé, e mostrando que através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus.

22. Depois de Derbe, Paulo e Barnabé resolveram voltar para a Antioquia da Síria. No caminho, visitaram as igrejas que haviam fundado, exortando-as a prosseguir na fé cristã. Promoviam em cada igreja a eleição dos presbíteros; depois de orar com jejuns, os encomendavam ao Senhor.

23. Finalmente, quando Paulo e Barnabé chegaram em Antioquia, relataram quantas coisas fizera Deus com eles e como abrira aos gentios a porta da fé.

Senhor Jesus, apreciamos conhecer o trabalho missionário de Paulo e Barnabé. Pedimos que o  Senhor venha nos ajudar para que possamos seguir o exemplo deles: nos colocar inteiramente nas Mãos de Deus e trabalhar corajosamente com sacrifício voluntário e fiel em prol das pessoas. Amém.                                                                                          

Feliz Sábado! Sejam felizes! 

Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço! 

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professa adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.