A Graça de Deus

Ao contemplar a falência humana, a ruptura com o dom da imortalidade, a paz edênica e tantas outras bênçãos do amor criador, Deus viu que se fazia necessário oferecer ao homem Seus atributos por eles desconhecidos.
Então Sua graça foi apresentada ao homem junto com Sua compaixão. “Pela graça sois salvos por meio da fé, e isto não vem de vocês, mas é um presente de Deus” (Efésios 2:8).
Deus tomou a iniciativa e saiu à procura do filho perdido e ofereceu Seu amor, Sua graça, Sua misericórdia, Seu caráter e Sua própria pessoa.
O homem poderia voltar ao favor divino e através de um substituto retornar ao Éden e à imortalidade.
Deus também percebeu que precisaria oferecer ao homem um meio, um instrumento para capacitá-lo a receber esse dom celestial.
Através do Espírito Santo, da Palavra revelada, o homem receberia fé, como instrumento de apropriação do dom da salvação. A fé não salva, a fé não opera milagres, mas ela lança mão dos presentes de Deus ao crermos em Suas promessas e em Sua revelação maior: Jesus Cristo.
“A graça é um atributo de Deus, exercido para com as indignas criaturas humanas. Não a buscamos, porém ela foi enviada a procurar-nos. Deus se alegra de conceder-nos sua graça; não porque somos dignos, mas porque somos tão completamente indignos. Nosso único direito a sua compaixão é nossa enorme necessidade” (CBV, 161).
O pecado começou com a livre escolha do homem neste planeta. A graça começou com a livre vontade de Deus; é sustentada por Ele e assim será sempre, pois sem Sua graça, o céu jamais seria uma possibilidade.
Permita, portanto, que Deus lhe entregue esse presente, tomando pela fé a Deus em Sua Palavra, pois Seu prazer e projeto é a sua salvação!
Viva pela fé na graça de Deus!

Fraterno abraço pastoral,

Pr. Gilson Grüdtner