A fim de que todos sejam um

Vejam os itens mais importantes:

1. O Evangelho de João revela as preocupações imediatas de Jesus, pouco antes de Sua morte. Em cinco capítulos – João 13 a 17, Jesus apresentou Suas últimas instruções, por vezes, chamada de “oração sacerdotal”.

2. Nessa oração sacerdotal, nosso Senhor foi simultaneamente, sacerdote e vítima. É uma oração de consagração.

3. No centro dessa oração está a preocupação de Jesus com a unidade entre Seus discípulos e entre os que futuramente viriam a crer Nele. Esse foi um tema fundamental em Sua oração.

4. Por quem Jesus orou? Podemos dividir a oração de Jesus em três partes: 1- orou por Si mesmo;  2- orou pelos Seus discípulos;  c- orou pelos que posteriormente viriam a crer Nele.

5. Hoje, vocês creem em Jesus? Consideram Jesus o seu Salvador? Se a resposta for SIM, posso afirmar com convicção: Jesus orou por vocês. 

Por mim também!

6. Por que Jesus orou por Si?  a- a Sua hora ainda não tinha chegado, embora sabia que estava chegando a hora de Seu sacrifício; b- Jesus precisava de forças para completar Sua missão;  c- era hora de orar, porque glorificaria o Pai fazendo a Sua vontade, suportando a cruz.

7. Jesus não morreu como mártir, mas voluntariamente glorificou Seu Pai ao cumprir Sua morte sacrifical na cruz pelos pecados do mundo.

8. Jesus orou ao Pai pedindo que Ele concedesse vida eterna a todos os que lhe deste. Como Ele definiu vida eterna? Jo 17:3 “A vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus, a quem enviaste”.

9. Jesus afirmou que a vida eterna consiste em nosso conhecimento pessoal de Deus. NÃO É salvação pelas OBRAS, nem por conhecimento, mas a experiência de conhecer Jesus por causa do que Ele fez por nós na cruz.

10. Como vocês podem explicar: “conhecimento pessoal de Deus”? conversem com seus amigos.

11. Conhecer Jesus, é conhecer: Seu nascimento, Sua vida, Seu ministério, Seus ensinamentos; como Ele tratava e amava as pessoas; Sua morte e ressurreição. E muito mais…

12. O primeiro advento de Cristo teve o propósito de guiar a humanidade para o conhecimento de Deus e a unidade de uns com os outros.

13. Por que Jesus orou pelos discípulos? a- porque eles estavam em grave perigo de perder sua fé Nele nos dias futuros, quando Ele não estaria mais com eles fisicamente; b-  para que os discípulos fossem protegidos do mal;  c-  para que o maligno não os derrotasse;  d- pela unidade deles.  

14. A santificação ou consagração dos discípulos à verdade também era indispensável para o serviço. A obra da graça de Deus no coração dos discípulos os transformaria.

15. Por que Jesus orou “por aqueles que vierem a crer em Mim”? a- porque Jesus queria a unidade da igreja, para que o mundo cresse que Jesus foi enviado pelo Pai;  b- para que os futuros cristãos também fossem um; c- visando a unidade que Jesus Se referiu,  uma unidade de amor e propósito, como a que há entre Pai e Filho;  d-  para que a unidade em amor, confirmasse publicamente tanto o relacionamento dos discípulos com Jesus quanto com o Pai;  f-  para que o mundo pudesse se convencer da veracidade do evangelho através do amor verdadeiro entre o povo de Deus.

16. “A fim de que todos sejam UM e como és Tu, o Pai, em Mim e Eu em Ti, também sejam eles em nós, para que o mundo creia que Tu Me enviaste”. João 17:20

17. Nós adventistas, cremos que a oração de Jesus em João 17, tem aplicação direta à unidade da igreja. Devemos estar unidos para cumprir nossa missão.

18. Como devemos praticar essa unidade com outros cristãos à luz da oração de Jesus? Primeiramente, afirmamos que Deus tem fiéis em outras igrejas, mesmo em Babilônia; ao mesmo tempo, sabemos que existe uma apostasia entre os que professam o nome de Cristo e que, nos últimos dias, muitos falsos cristãos se unirão uns com os outros e com Estado para realizar a perseguição representada em  Apocalipse. Portanto, os adventistas são cautelosos quanto ao envolvimento da unidade com outras igrejas, como é visto no movimento ecumênico.

19. Então? Como devemos nos relacionar com outras denominações?

Vamos recorrer aos conselhos de E.G. White: a- submetermos a nossa vontade à vontade de Deus, o Espírito Santo irá realizar o Seu trabalho; b- não devemos evitar o contato com essas pessoas; c- abrir a porta e convidá-las a se unirem a nós;  d- devemos nos unir para que essas pessoas possam ouvir novas verdades e certamente, o Espírito Santo vai impressionar os corações.

20. Alguns princípios importantes a respeito da nossa relação com outros cristãos os: 1- trabalhar em interesses sociais;  2- ao nos unirmos a eles, devemos fazê-lo de maneira a NÃO comprometer nossas crenças nem práticas;  3- usar essa “unidade” para compartilhar as preciosas verdades com as quais fomos abençoados.

21. Como demonstramos nosso conhecimento de Deus? Guardando os Seus mandamentos e andando como Jesus andou, viveu, amou, perdoou…  “Aquele que diz Eu O conheço e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso, e nele não há verdade”. IJo 2:3-6

22. Guardar os mandamentos não é uma condição para conhecer a Deus, mas um sinal de que O conhecemos e O amamos. Isso nos conduz a uma ação.

23. Qual foi o NOVO mandamento que Jesus deu aos Seus discípulos?

Amar uns aos outros COMO Deus nos amou. Amar o próximo COMO Jesus amou. A vida de Jesus foi uma demonstração prática do amor.

Senhor Jesus, agradecemos a Sua oração por nós, pois cremos em Ti. Desejamos contribuir com a unidade na nossa igreja. 

Queremos amar aos outros como Deus nos amou. Queremos amar o próximo como Jesus amou. Venha nos ajudar. Amém.

Feliz Sábado! Sejam felizes! 

Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço! 

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.