À espera de um natal

Todos nós de uma maneira ou de outra esperamos a chegada do natal.

Mesmo que não recebamos e ou não entreguemos presentes, pois o natal é em si mesmo um presente.

Existem muitos natais, mas o verdadeiro natal é o nascimento de Cristo, o menino Jesus, em nosso coração.

Jesus é o grande presente que deve ser celebrado e honrado.

Quem tem Jesus tem o verdadeiro natal.

Eu sei que natal envolve presentes, ceias, comidas, bebidas, viagens, encontros de familiares e amigos e muitas coisas mais.

O mais importante símbolo do natal não é uma árvore enfeitada e muito menos uma mesa coberta de alimentos saborosos, mas sim o espírito de generosidade ensinado por Jesus quando aqui andou.

A verdadeira história do Natal é a história de Deus se tornando um ser humano na Pessoa de Jesus Cristo.

Não podemos esquecer que o Natal é um momento de renascimento da fé e de reafirmação de compromisso com a paz, com a solidariedade e com o amor pelo próximo.
O Natal de verdade não precisa de presentes, belas roupas, ou uma grande ceia. O Natal de verdade é tempo de partilha e de união, de perdão, de generosidade, de fraternidade.

O natal de verdade é perdão e aproximação.

Por isso eu volto a afirmar que o verdadeiro natal é Jesus.

Jesus é o elo que liga a Terra com o Céu outra vez.

Jesus é o mistério que conecta o homem de novo com Deus.

O pecado com toda a sua poderosa força de destruição jamais será capaz de destruir o amor que Deus tem por Seus filhos e filhas.

Nas palavras do anjo aos pastores nas colinas de Belém, podemos atestar tais afirmações: “Não temais; eis aqui vos trago boa-nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor”, Lucas 2:10-11.

E mais, veja as palavras da escritora Ellen G. White: Pela Sua vida e morte, Cristo operou ainda mais do que a restauração da ruína produzida pelo pecado. Era o intuito de Satanás causar entre o ser humano e Deus uma eterna separação; em Cristo, porém, chegamos a ficar em mais íntima união com Ele do que se nunca houvéssemos pecado. Ao tomar a nossa natureza, o Salvador ligou-Se à humanidade por um laço que jamais se desfará. Ele estará ligado a nós por toda a eternidade”, O Desejado de todas as Nações, página 25.

Natal é Jesus, é reconciliação, é perdão, é salvação, é vida eterna com o nosso Deus.

Louvado seja o Senhor Jesus, o nosso natal verdadeiro!

 

Neumoel Stina

Pastor Sênior da IASD do UNASP, Campus São Paulo

pastorstina@gmail.com

@pastorstina

stina.com.br