Sereis Minhas Testemunhas

Vejam os itens mais importantes:
1. O livro de Atos é um relato de três décadas cruciais, que vão desde a ressurreição de Jesus, em 31 d.C., até o fim da primeira prisão de Paulo em Roma, em 62 d.C.
2. A tradição da igreja sempre identificou Lucas, o médico amado, como o autor do livro de Atos. Lucas é autor também do terceiro evangelho, que leva o seu nome.
3. O livro de Lucas e o de Atos tratam dos primórdios do cristianismo, de sua origem – a vida e o ministério de Jesus e de sua expansão, e o relato dos esforços missionários dos apóstolos.
4. Um dos temas principais do autor Lucas: universalidade da salvação. Deus não tem favoritos. A igreja é chamada a testemunhar a todos, independentemente da etnia, classe social ou sexo. Diante de Deus, somos iguais: pecadores que necessitam da redenção encontrada em Cristo Jesus.
5. O livro de Atos conta a história dos que foram chamados por Deus para iniciar a obra.
6. Uma boa novidade: o autor da Lição desse trimestre é o Pastor Wilson Paroschi, brasileiro que foi professor na Faculdade de Teologia do UNASP- Engenheiro Coelho, por mais de 30 anos. Desde janeiro deste ano, é professor na Southern Adventist University, em Collegedale, Tennessee, Estados Unidos. Ele é PhD em Novo Testamento.
7. No Antigo Testamento existem dois tipos de profecias messiânicas: 1a- prevê um Messias soberano que governaria para sempre; 2a – prediz que o Messias morreria pelos pecados do povo. Não há contradição – Ele sofreria e depois Se tornaria Rei.
8. A princípio, os discípulos acreditavam que Jesus era o Messias. Tinham esperança que Ele seria um Messias soberano e os livraria dos romanos. Eles não compreendiam que primeiramente Ele viria para morrer.
9. A ressurreição de Jesus reacendeu as expectativas e a esperança dos discípulos. Acreditavam que nesse momento, o reino messiânico finalmente seria estabelecido. Jesus os advertiu dizendo: “A vós não compete saber os tempos e as épocas, que o Pai revelou à Sua própria autoridade”. Atos 1:6 e 7 Concluímos que eles não deveriam se envolver com especulações proféticas.
10. Jesus deixou bem claro qual seria a MISSÃO dos discípulos: receber o Espírito Santo, testemunhar e seguir o plano e as devidas orientações – “Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra”. At 1:8
11. O Espírito Santo já estava atuando durante o ministério de Jesus, mas a era do Espírito Santo foi oficialmente inaugurada após a volta e exaltação de Cristo no Céu.
12. Os discípulos deveriam testemunhar, estavam incumbidos de compartilhar com o mundo sua experiência singular com Cristo. Não era Israel que deveria “levar” Deus às nações.
13. O plano da missão = primeiramente deveriam testemunhar em Jerusalém, local que deveria ser o centro da vida religiosa judaica (lugar que Jesus foi condenado e crucificado). Era um plano progressivo. Em seguida, deveriam testemunhar na Judeia e Samaria, regiões vizinhas onde Jesus tinha trabalho. Então, os discípulos não deveriam se limitar apenas nessas localidades, e sim, a sua missão deveria ser mundial, sair para os confins da Terra, ou em todo lugar!
14. A mensagem central da pregação dos discípulos = Ressurreição de Jesus. Deveriam exaltar a Cruz de Cristo, o túmulo vazio e Sua ressurreição.
15. Lucas descreve a ascensão de Jesus assim = Jesus estava com os discípulos no Monte das Oliveiras e, enquanto ainda os abençoava, foi levado para cima… levado para o Céu. Em seguida, foi encoberto por uma nuvem. Eles estavam com os olhos fitos no Céu; enquanto Ele subia, apareceram 2 varões vestidos de branco e disseram: Por que ficais aí olhando o Céu? Esse Jesus, que dentre vós foi levado ao Céu, há de vir, assim, como para o Céu O vistes ir”. At 1:9-11
16. A ascensão de Jesus foi um ato sobrenatural de Deus.
17. Portanto, a ascensão visível se tornou a garantia do retorno visível, que também ocorrerá em uma nuvem. Não será mais um evento reservado, pois “todo o olho O verá”.
18. Jesus nada prometeu em relação ao tempo de Sua segunda vinda… havia uma certeza – logo depois que o Espírito Santo viesse e os discípulos completassem sua missão Ele retornaria.
19. Os 12 discípulos se prepararam para a vinda do Espírito Santo com muita oração.
20. Lucas relata em seu livro que num determinado momento, os discípulos tendo retornado do Monte das Oliveiras, se reuniram num quarto de hóspedes de uma casa particular. Ali estavam algumas mulheres seguidores de Jesus e para surpresa dos discípulos os Seus irmãos. E o que aconteceu? Jesus apareceu em especial a Tiago, o mesmo que substituiu Pedro na liderança da comunhão cristã.
21. Constantemente em oração e louvando a Deus no templo, todos eles certamente estavam envolvidos na confissão, arrependimento e abandono do pecado. Estavam se preparando para o Pentecostes, em plena harmonia com o que estava para acontecer – recebimento do Espírito Santo.
22. A primeira administração da comunidade cristã primitiva, que somava 120 fiéis, foi escolher o sucessor de Judas.
23. O substituto deveria ter convivido com os discípulos, andado com Jesus e ter testemunhado a Sua ressurreição. Dois varões se apresentaram: José Barsabás e Matias. Como procederam? Oraram a Deus e sortearam… prática comum na época. Matias ganhou a vaga e se tornou o sucessor de Judas.
24. Depois do Pentecostes, o sorteio ou o lançamento de sortes tornou-se desnecessário em razão da orientação direta do Espírito Santo.

Senhor Jesus, queremos nos colocar em Tuas mãos, receber o Espírito Santo e nos tornar Tuas testemunhas em todos os lugares onde estivermos. Vem nos ajudar.

Feliz Sábado! Sejam felizes! Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço!
Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.

Link para a lição completa: http://mais.cpb.com.br/licao-adultos/